Example Example Example Example Example Example Example O presidente Ikeda observa: "É absolutamente impossível que alguém com uma conduta séria e sincera na fé não consiga ser feliz e prosperar ou que seu ambiente não consiga ser revitalizado. Este é o princípio universal do budismo. O coração é o que transforma tudo. Esta é a natureza prodigiosa da vida. É uma verdade irrefutável". Nam-myoho-rengue-kyo Nam-myoho-rengue-kyo Nam-myoho-rengue-kyo....


Pesquisa personalizada

27 de outubro de 2009

Cont 12 - Quinto capítulo do Sutra de Lótus — Parábola das Ervas Medicinais

BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1938, PÁG. A8, 10 DE MAIO DE 2008.

Neste capítulo, o Buda Sakyamuni cita a “Parábolas das Ervas Medicinais” (Yakusoyu,
em japonês) para mostrar a benevolência imparcial do Buda.

No início do capítulo, Sakyamuni elogia Kashyapa por expor de maneira correta sobre
os verdadeiros méritos e virtudes do Buda. Então, Sakyamuni começa a contar a
parábola:

“No mundo existem muitas espécies de flores, capins, árvores e ervas, diferentes em
tamanhos, forma e nome. Ao redor do mundo existe uma nuvem densa e grande, que
acaba fazendo com que a chuva caia sobre todos os lugares. Evidentemente, a chuva
molha o solo seco e, como resultado, as árvores, ervas e plantas de todos os lugares
são nutridas e crescem. A água que cai da nuvem é imparcial, mas as plantas recebem
umidade segundo suas naturezas e crescem de acordo com a sua espécie. Todas as
diversas árvores, sejam altas, médias ou baixas, possuem tudo o que é próprio das
grandes ou pequenas, e cada uma está possibilitada a brotar e crescer.”

Embora essa parábola seja curta em comparação com as outras expostas no Sutra de
Lótus, ela é repleta de significados. Após expô-la, Sakyamuni a interpretou, dizendo:

— O aparecimento do Buda neste mundo é como a grande nuvem que cobre todas as
coisas. O Buda aparece neste mundo e revela a verdade da vida às pessoas sob
diversos ângulos. Ele satisfaz as pessoas miseráveis, liberta-as dos sofrimentos e dálhes paz.

Sakyamuni ensinou a Lei para todas as pessoas sem distinção: “Aos honrados e aos
humildes, altos e baixos, justiceiros e malfeitores, aqueles de perfeito caráter e os imperfeitos, ortodoxos, heterodoxos, os vivazes e os lentos, faço com que a chuva da Lei caia com igualdade”. Assim, todas as pessoas recebem a Lei do Buda de modo igual.

Contudo, como elas diferem quanto à capacidade de compreender os ensinos do Buda,
o desenvolvimento de cada uma é diferente. Portanto, algumas continuam no estado
de Alegria ou Erudição; outras, no estado de Absorção. Sakyamuni compara as três
ervas medicinais e os dois tipos de árvores com esses estados de vida. Dos três tipos de ervas medicinais, as “inferiores” estão para aqueles seres nos estados de
Tranqüilidade e de Alegria. As ervas “médias” representam aqueles nos estados de
Erudição e Absorção. E as “superiores” e os dois tipos de árvores, “pequenas” e
“grandes” indicam aqueles no estado de Bodhisattva que aspiram tornarem-se budas.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada

e-referrer

Encontre seu par perfeito