Example Example Example Example Example Example Example O presidente Ikeda observa: "É absolutamente impossível que alguém com uma conduta séria e sincera na fé não consiga ser feliz e prosperar ou que seu ambiente não consiga ser revitalizado. Este é o princípio universal do budismo. O coração é o que transforma tudo. Esta é a natureza prodigiosa da vida. É uma verdade irrefutável". Nam-myoho-rengue-kyo Nam-myoho-rengue-kyo Nam-myoho-rengue-kyo....


Pesquisa personalizada

4 de agosto de 2008

Vencendo a solidão - Olimpiadas

1964 – Vencendo a solidão 

  Aída dos Santos era uma moça negra da favela de Niterói que competia com atletas brancas, de boa aparência e bem vestidas. Numa final no estádio de Tóquio completamente lotado, conseguiu chegar na quarta colocação, algo que não se imaginava naquela época.

  Mesmo feliz, naquele momento sentiu uma imensa solidão e chorou. Era a única mulher da delegação, não tinha técnico, médico, massagista ou roupeiro. A equipe de atletismo era formada por ela mesma. Não tinha uniforme da delegação e em dia de competição usava um antigo e surrado. Nos treinos vestia o uniforme oferecido por seu clube.

  O pres. Ikeda sempre nos orienta que as pessoas diferem apenas na aparência e nas ações, sendo todas iguais interiormente. As virtudes invisíveis, enfatiza ele, são mais importantes que as visíveis.

  Há ocasiões em que a maneira como nos apresentarmos faz uma grande diferença, mas, no mundo da fé, o coração é o mais importante: o coração determina tudo. De acordo com o princípio de itinen sanzen é o "pensamento determinado" – em outras palavras, a mente, o coração – que determina o " ".
  Eis porque a condição em que se encontra o nosso coração, o nosso interior, a nossa verdadeira essência, é muito mais importante do que apresentarmos uma falsa imagem.

Fonte: TC fevereiro/1997 (Revista Terceira civilização, Editora Brasil Seikyo)

Agradecimentos a amiga Marcia Rocha que me mandou por email essa notícia.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada

e-referrer

Encontre seu par perfeito