Example Example Example Example Example Example Example O presidente Ikeda observa: "É absolutamente impossível que alguém com uma conduta séria e sincera na fé não consiga ser feliz e prosperar ou que seu ambiente não consiga ser revitalizado. Este é o princípio universal do budismo. O coração é o que transforma tudo. Esta é a natureza prodigiosa da vida. É uma verdade irrefutável". Nam-myoho-rengue-kyo Nam-myoho-rengue-kyo Nam-myoho-rengue-kyo....


Pesquisa personalizada

24 de dezembro de 2008

A atitude fundamental do Estudo do Budismo

Trechos da "Revolução Humana", Volume V, Páginas 169 à 173.

- Sem a convicção no Gohonzon, não repercutirá o dinamismo da fé e se não
propulsionar a força da fé e a força da prática, não aparecerão os
benefícios.

Em seguida, ele advertiu severamente sobre o termo "pai da conversão"
usado pelos hereges e repetido pelos membros.

- Gakkai é um organismo sistematizado e portanto há chefes de capítulos ou
dirigentes dos jovens e os membros seguem naturalmente as atividdes
segundo sua orientação ou diretriz; porém, isso é totalmente diferente da direção
do "pai dos convertidos" , assim chamado nas seitas heréticas. Peço que não
confundam jamais. A pessoa que conduziu o Chakubuku não é o "pai da
conversão" e sim o "bom amigo" descrito no Gosho. É alguém que "não é
mestre e nem é discípulo".

- Se, dentro da Soka-Gakkai, alguém usar o termo "pai da conversão" e
pretender que pode usar ou tratar os convertidos como seus subordinados,
neste caso, tomarei providências enérgicas e portanto peço que todos
estejam cientes disso.

Ele advertiu rigorosamente contra o desprestígio da Soka Gakkai, uma
organização pura e genuína, pela infiltração de usos e costumes errôneos
provenientes das seitas heréticas.

À medida que foram aplicando as providências minuciosas, as tarefas a
serem executadas eram por demais numerosas. Apesar disso, o que se devia fazer,
ele precisava executar. Assim como um relógio, cujos ponteiros para
segundos, minutos e horas movem juntos marcando o tempo, os movimentos
insignificantes da organização não podem ser desprezados para que o ideal
se torne uma grande realidade. Havia uma época em que os "dirigentes" eram
considerados como alguém que deixava os pormenores a cargo de outros e
mostravam sua imponência arrogante. Hoje, quase todas essas personagens
se degeneraram ou tornaram-se líderes fora da época.

A inteligência de Toda girava intensamente. Fiscalizava constantemente a
organização, canalizando suas atenções para cada valor humano para que
dentro de suas habiliddes crescessem visando o grande objetivo do
Kossen-rufu.

Ele introduziu antes de mais nada, uma grande reforma no setor do estudo
sobre o Budismo. Em 1º. de setembro, transformou o Departamento de
Explanação em Departamento de Estudo do Budismo, e renovou os métodos
visando o futuro.

Classificou os integrantes em 5 graus, sendo que o 1º. grau era para os
aspirantes e o 5º. grau para os mais elevados. Para o 1º. grau, Toda
ensinava pessoalmente as "Lições sobre o Sutra de Lotus" num prazo de um
mês, semanalmente às quartas-feiras, à noite, explanando o Hobenpon e
Juryohon. Portanto, os participantes se renovavam a cada mês. A primeira
turma foi formada de 156 membros selecionados pelos respectivos chefes de
capítulo e aprovados sob sua responsabilidade.

Os aprovados no 1º. grau ingressavam para o 2º. grau que era o estudo
sobre o "Manual de Chakubuku". O instrutor era o chefe de capítulo ou às
vezes um membro do Departamento de Estudo do Budismo e os participantes eram
responsáveis por um Distrito. Após seus aprendizados, eles explanavam as
lições sobre o Manual de Chakubuku para os membros desse distrito.

Os aprovados no 2º. grau passavam para o 3º. grau que dividia em classes A
e B.

O 3º. grau A era instruído pelos membros do Departamento de Estudo que já
estudaram mais de 50 artigos do Gosho. Em seguida, o 3º. grau B fazia
pesquisas para lecionar os Cinco Principais Ensinamentos do Gosho.

O 4º. grau usava os materiais como os Seis Volumes de Nitikan Shonin e os
membros do Departamento de Estudo ou aspirantes recebiam as lições do
Presidente Toda nas Segundas-feiras da 2ª. e 4ª. semana de cada mês na
Sede.

O 5º. grau era destinado para os membros selecionados pelo presidente para
aprender as análises do Gosho interpretado por Nitikan Shonin.

O Estudo do Budismo, que constitue um orgulho para a Soka Gakkai estabelecia
essa classificação para que os aproveitamentos fossem difundidos para todos
os membros. Além disso, Toda precisava precaver-se contra a distorção da fé
em relação ao Estudo do Budismo.

Num artigo do Jornal Sekyo de 1º. de setembro de 1951, apareceu uma série
de advertências para os estudiosos do Budismo; parecia ser de sua autoria.

1 - Há muitos devotos que não conseguem ler o Gosho. Percebe-se que o
estudo está em decadência. Nem se pode cogitar sobre o Kossen-rufu.
Previna-se portanto.

2 - Há pessoas que conseguem ler o Gosho. Em seguida, repetem apenas as
palavras de Daishonin. Tais pessoas merecem ser chamadas de "papagaios".

3 - Não procuram ler o Gosho embora tenham tempo para ler romances. Tais
indivíduos são como o irmão mais novo de Arakan chamado Darakan, o líder
negligente.

4 - Entre os jovens há alguns que vangloriam como sendo o conhecedor do
Gosho. Esses moços não netos de Sakyamuni chamados Príncipes Convencidos.

5 - Há senhoras que se sentem orgulhosas por não lerem o Gosho. São as
madames "perdidas na sociedade".

A atitude fundamental do Estudo do Budismo da Soka Gakkai de hoje, pode-se
dizer que foi estabelecida já nessa época. O estudo equivale à prática e a
prática atua como prova para o estudo.

Toda guardava no seu íntimo aquela decisão de atingir a meta de 750 mil
famílias convertidas declarada no momento da posse presidencial, sem
esquecer nem por um instante sequer. Reconhecia também a longa distância
que o separava do objetivo. Embora todas as suas idéias partissem desse
ponto, a solidificação das bases era por demais extensa.

Para construir a base para a grandiosa obra, um dia do seu esforço
necessitava a energia capaz de vencer o desafio de muitas pessoas por mais
de um mês. Entretanto, ele obedecia a tática de "Três avanços e um recuo",
procurando acalmar sempre o seu espírito desesperador. - Dizem que o leão
ataca sempre o adversário com toda sua fúria decisiva quer diante de um
inimigo feroz ou de uma pequenina formiga, após o desafio de "três avanços
e um recuo". É uma estratégia infalível. Toda estava ciente de que, sem
possuir a força de um leão, não poderia cumprir a missão para o
Kossen-rufu. O segredo da força do leão está nos "três avanços e um
recuo".

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada

e-referrer

Encontre seu par perfeito